FANDOM


Já que és única
6
Número de episódio 6
Temporada 1
Número total 6
Título em Teremedó P’eṭs ûnika
Data de estreia 8 de fevereiro do 2015
Lista de episódios
anterior
A rapariga que tens de ser
seguinte
Fazei o que quiserdes
Coisas de Irmãs

Já que és única é o episódio 6 da temporada 1 da série Coisas de Irmãs e o episódio 6 em total. Estreou-se em 8 de fevereiro do 2015.

Argumento Editar

O episódio começa na porta da escola Traball, onde a Karla vem dizer à Kimberly que está muito contente porque fará um trabalho com o rapaz que ela está apaixonado, e se tudo for bem, poder-lhe-á pedir para sairem. A Kimberly pergunta-lhe como o conseguiu, e a Karla responde-lhe que eles dois eram os únicos que ficavam sem equipa, porque se encarregou de fazer com que todos tivessem equipa menos eles. A Karla também lhe diz à Kimberly que se calhar ela também sabe planear coisas como a sua irmã, e a Kimberly responde: “É verdade, o teu plano é bom, já és como eu. Agora tens de acabar o plano para saires com esse rapaz, e se quiseres, ajudar-te-ei”. A Karla diz que está de acordo.

Em casa das raparigas, a Kimberly informa os seus pais que a Karla trará um rapaz a casa para fazerem um trabalho. Então a Karla entra na casa e diz-lhe ao seu colega de escola que poderão fazer o trabalho na sua habitação. Os pais dizem-lhes: “Se estiverdes com alguma dúvida, podeis contar connosco. E tendes o tempo todo que quiserdes para fazerdes o vosso trabalho”. A Karla e o seu colega vão à habitação da Karla, e o trabalho consiste em representar uma molécula de átomos com umas bolas e uns paus para unir as bolas. O rapaz diz à Karla que têm de começar pela bola que tem uma cruz, mas a Karla só está a olhar ao seu colega porque está apaixonada por ele, e não está muito concentrada.

Na sala de estar, os seus pais perguntam à Kimberly se esse rapaz é namorado da Karla, e a Kimberly diz que não. Os pais dizem que observaram a maneira que a Karla olha ao seu colega, e podem notar que está apaixonada por ele. A Kimberly diz que isso é certo, mas nem ela nem a Karla não sabem se o rapaz corresponde a este sentimento. Na habitação da Karla, o colega diz-lhe que têm de colar dois paus numa bola vermelha, e depois ligar a bola vermelha numa bola azul com outro pau. A Karla, que tinha estado a fazer o trabalho muito devagar, olha as instruções e acaba de fazer o trabalho depressa nuns poucos segundos. O rapaz diz-lhe a Karla: “Surpreendeste-me mais uma vez, já que és única”.

A Karla não sabe o que dizer, e sem querer diz: “O teu rosto é tão giro…” e o rapaz ruboriza-se e responde: “Na verdade, tu também és gira, mas não sabia que também gostavas de mim”. A Karla fica surpreendida porque o rapaz corresponde ao seu sentimento, e simplesmente diz: “Eu…” mas o rapaz aproxima-se à Karla e dá-lhe um beijo. Na sala de estar, a Kimberly diz aos seus pais que não se ouve nenhum ruído na habitação da Karla, mas os seus pais respondem que não mexa nos assuntos da sua irmã. A Karla e o rapaz saem da habitação com uma caixa onde está o trabalho, e diz: “Terminámos”. O rapaz despede-se da Karla e os demais, e a Karla só mexe a mão e não diz nada. A Kimberly não percebe o que se passa.

No dia seguinte, na escola Traball, a Kimberly vê a Karla que segura a mão do seu colega, e os dois estão a falar e estão a rir. A Kimberly vai à sua sala de aulas, e encontra-se com a sua amiga. A amiga diz à Kimberly que acha que a Karla está a sair com um rapaz, mas não tem a certeza. A Kimberly perguntar-lhe-á à Karla o que se passa, e a professora vem fazer a matéria de matemáticas. Quando acabam as aulas, a Kimberly encontra-se com a Karla e pergunta-lhe sobre o seu colega de trabalho, e a Karla responde: “O nosso trabalho tem a máxima nota. E outra coisa: o meu colega de trabalho agora é o meu namorado”. A Kimberly diz-lhe que conseguiu acabar o plano com sucesso, e a Karla diz que está muito contente e informará os seus pais sobre o seu namorado.

Em casa das raparigas, a Karla diz aos seus pais que o colega que veio a casa o dia anterior agora é o seu namorado, e é muito feliz com ele. Os seus pais dão os parabéns à sua filha por ter namorado, e a Karla diz que sairão para fazerem um jantar no sábado à noite. Os seus pais estão de acordo, mas dizem à Karla que deve voltar a casa antes das 22h. A Karla aceita, apanha o seu telemóvel e vai-se à sua habitação para telefonar ao seu namorado. A Kimberly põe-se a olhar a televisão junto aos seus pais. Quando a Karla acaba de falar com o seu namorado, a Kimberly e a Karla vão à habitação da Kimberly. A Karla diz à sua irmã que ela tem namorado antes que a Kimberly, e a Kimberly diz que se calhar ela não tem tanta sorte com o amor, e nisto a Karla ganha.

No sábado, a Karla está a maquilhar-se para sair com o seu namorado. Os seus pais vêm dizer à Karla se estão prontos para jantarem num restaurante sós e sem nenhum adulto, já que eles só têm 10 anos. A Karla diz que se tiverem algum problema, telefonar-lhes-ão. A Kimberly diz à sua irmã que desfrutem do jantar. O namorado da Karla chega a casa, e segura a mão da Karla e o casal sai. A Kimberly diz que também sairá, e voltará em seguida. No restaurante, a Karla e o seu namorado começam a jantar, e os dois estão a desfrutar do seu encontro juntos. Enquanto isso, a Kimberly vai de metro até o edifício Pulá, com um pressentimento desconhecido. Quando chega a Pulá, a Kimberly encontra-se com o almirante 19, que diz: “Sabia que virias”.

No restaurante, a Karla está a explicar coisas ao seu namorado, e pergunta-lhe se é que tem algum interesse por conhecer a Terra. O seu namorado responde que sempre teve interesse pelas coisas estranhas e diferentes. Em Pulá, o almirante 19 pergunta à Kimberly como estão ela e a sua irmã, e se há alguma novidade. A Kimberly diz que agora a Karla tem namorado, e logo explica-lhe sobre o seu ADN diferente. O almirante 19 diz que se imaginava que era alguma coisa assim, e logo diz-lhe que sabe que ela lhes roubou um dispositivo projector de hologramas. A Kimberly pergunta-lhe se lhe tem de devolver esse objecto, e o almirante 19 responde-lhe que não, mas tem de ir com muito cuidado. A Kimberly diz este objecto também faz à gente invisível, e o almirante 19 diz que já o sabe.

No restaurante, a Karla e o seu namorado acabam o jantar e a Karla diz que desfrutou muito deste momento, e o seu namorado diz o mesmo, dá-lhe um beijo e despedem-se. A Karla volta a casa, onde se encontra com a Kimberly que lhe quer dizer uma coisa muito importante. As duas raparigas vão à sua habitação, e a Kimberly diz à sua irmã que foi ao edifício Pulá por um pressentimento, e ali estava o almirante 19. A Karla pergunta-lhe o que lhe disse, e a Kimberly diz que estiveram a falar sobre as descobertas dos últimos meses desde que se encontraram, e que ele sabe que elas têm o projector de hologramas. A Karla pergunta se ele ficou zangado por isto, e a Kimberly diz que não, mas parece que o almirante 19 sabe muitas coisas sobre elas.

A Kimberly pergunta à sua irmã como foi o jantar, e a Karla responde que foi um bom encontro, e combinaram para saírem de novo mais outro dia. A Kimberly vai-se à sua habitação para deitar-se na cama. Então recebe um telefonema do almirante 19, que diz à Kimberly que sempre que quiser falar com ele, poder-lhe-á telefonar. A Kimberly está de acordo, e o almirante 19 diz que tem de fazer uma missão, e desliga o comunicador. Na habitação da Karla, a Kimberly entra e pergunta se está a dormir. A Karla diz que não, e lembra-lhe que no dia seguinte não há aulas, e podem dormir toda a manhã. A Kimberly volta à sua habitação, e a Karla diz baixinho “Quero-te…” pensando no seu namorado, e põe-se a dormir. Kimberly também se põe a dormir, e termina o episódio.