FANDOM


Visita num hotel
2
Número de episódio 2
Temporada 1
Número total 2
Título em Teremedó Visiṭa a 1 žṭel
Data de estreia 14 de dezembro do 2014
Lista de episódios
anterior
Duas raparigas especiais
seguinte
Grande piada
Coisas de Irmãs

Visita num hotel é o episódio 2 da temporada 1 da série Coisas de Irmãs e o episódio 2 em total. Estreou-se em 14 de dezembro do 2014.

Argumento Editar

O episódio começa na escola Traball, onde a Karla se encontra com a Kimberly e lhe diz: “Consegui-o, aceitaram-me: venho convosco”. As duas raparigas sobem com o elevador até a sua sala de aulas, a g, e resulta que farão uma excursão. A professora informa às raparigas que irão ao edifício gémeo da escola, o hotel Kasa Tot, e reunir-se-ão com outras quatro sala de aulas do seu ano: f, h, i e §. Os alunos juntam-se e a professora informa que têm de apanhar o elevador para irem aos STK. Ao nomear “STK”, a Kimberly lembra o comunicador da Frota Estelar da Federação e põe-lho, e diz à Karla para pôr-lho também.

As raparigas vão ao elevador da escola. A professora diz que toda a classe f e os primeiros 20 alunos da classe g irão ao primeiro elevador, o vermelho. O resto a outros dois elevadores. Mas no elevador não cabem todos, e dividir-se-ão em dois. A Karla quer ser a primeira, e a Kimberly vai com ela. O elevador baixa até o andar dos STK, e têm de esperar ao resto de alunos. Quando todos estão na estação Traball, a professora informa aos alunos que irão num comboio especial e exclusivo para escolares. Passa um comboio, mas não é o escolar e não o apanham.

Quando chega o comboio especial escolar, os alunos sobem neste comboio, que irá até a estação de Tot directamente, sem parar em nenhuma outra estação para que puderem chegar mais rápido. Dentro do comboio, a professora verifica se todos os alunos estão nas carruagens, e pergunta se todos são da sua sala de aulas de sétimo de primária. A Karla diz que ela é doutro curso, e a professora diz que o sabe e que ela é especial, e diz-lhe que pode fazer perguntas e outras coisas na excursão quando quiser, já que será mais uma. A Karla está muito contente, e a Kimberly diz-lhe que ela sempre consegue todo o que se propõe e não sabe como o consegue. O comboio chega à estação Tot, e os alunos baixam do comboio.

Os alunos apanham os elevadores que há na estação para irem ao hotel Kasa Tot, seguindo os mesmos grupos que antes. Quando todos estão no andar da entrada do hotel, apresenta-se aos alunos o Jordy Kúdigy, o responsável pelo hotel. O Jordy olha os comunicadores da Kimberly e a Karla, e surpreende-se. Então pergunta-lhes onde conseguiram os comunicadores, e a Kimberly responde que o almirante da Terra lhos deu quando foram à inauguração da nova nave da FEF. O Jordy diz que também estava mas com os oficiais da FEF, e então revela que ele também é um oficial da FEF que ao mesmo tempo trabalha no hotel. As raparigas ficam surpreendidas.

O Jordy começa a falar à Kimberly e à Karla sobre a FEF, e a Kimberly pergunta: “O teu trabalho é difícil?”. O Jordy responde que o é dependendo como se olhe. Então o Jordy pergunta-lhes às raparigas se desejariam apontar-se à FEF, e a Karla diz: “É divertido?” e o Jordy responde: “Não muito, mas nós ajudamos à gente, e além disso podeis conhecer outros planetas, como a Terra”. Então a Kimberly pergunta ao Jordy se conhece a Terra, e ele diz que esteve ali uma vez. As raparigas dizem que não têm estado na Terra nunca, mas gostariam de ir. O Jordy diz que precisam de muitas coisas para conseguirem ir à Terra, e também diz que um oficial da FEF tem mais possibilidades. As raparigas dizem que por enquanto preferem ficar como simples cidadãs.

A professora pergunta ao Jordy por que estava a falar com a Kimberly e a Karla, e se é que as conhece. O Jordy diz que estavam a falar do hotel, e nada mais. Então o Jordy começa a visita, e diz que visitarão o hotel em equipas. As duas raparigas estão na primeira equipa, e serão as primeiras que visitarão o hotel. A visita começa, e o Jordy explica que pelo hotel passa uma rua pelo décimo andar, como na escola Traball, mas na escola passam duas ruas e no hotel passa só uma. Também explica que há 28 andares subterrâneos, onde os 24 mais profundos são estacionamentos para carros e os outros estão as estações de metro e STK, a paragem do eléctrico e um andar de armazenagem de coisas.

O Jordy explica que o hotel está na zona mais antiga da cidade, e várias ruas ficam cortadas pelo edifício (a diferença da escola). A equipa dirige-se aos elevadores, e irão ao andar 10. O Jordy diz baixinho às raparigas que o almirante 19 tem habitações reservadas no andar 14 para que quando estiver em Teremedó, poderá ficar. A Kimberly pergunta como um humano tem habitações em Teremedó, e o Jordy responde-lhe que em realidade o almirante e a sua namorada são teremedosianos que moram na Terra como humanos. Depois o Jordy diz à equipa que o andar 10 em realidade seria o 11, mas a rua que passa pelo andar 10 não conta como andar e o 9 está mais dois andares abaixo.

O Jordy leva à equipa ao restaurante do andar 10, e diz que a cada dez andares há um restaurante para todos os andares dessa dezena. Logo a equipa sai do restaurante e o Jordy diz que no telhado do edifício há um aparelho que utilizam para colocarem os mortos e lançá-los ao espaço, e para isso trazem ao morto ao telhado da Kasa Tot, fazem o funeral e lançam o corpo em uma caixa para o espaço. O Jordy diz que irão ver esse aparelho, e a equipa sobe com o elevador até o andar 110, o mais alto do edifício, que em realidade é o telhado. As raparigas observam a cidade desde o telhado e ficam assombradas pelas vistas da cidade e o mar Mederrà. O Jordy ensina o aparelho aos alunos.

O Jordy vê que a Kimberly e a Karla estão a olhar a cidade desde a borda do telhado, e propõe às raparigas irem até um andar mais alto. A Kimberly pergunta: “Tendes um andar mais alto? Se isto é o telhado do edifício!” e o Jordy diz-lhes que se quiserem ver a cidade, têm de ir ao elevador de novo. As raparigas acompanham-lhe, e os três entram no edifício. O Jordy preme o botão “111”, e o elevador começa a sair do seu cano e começa a subir como se estivesse a descolar. A Karla diz: “Olha, os alunos!” enquanto está a observar os alunos desde acima. O elevador chega às nuvens, e encontram uma plataforma onde o elevador se pára. O Jordy diz: “Um bocadinho mais acima está o final da atmosfera do planeta, e está o espaço”.

As raparigas e o Jordy saem do edifício, põem-se na plataforma e observam a superfície desde acima, pode-se ver todo o país Ketalània. O Jordy pergunta-lhes se gostam do que estão a ver, e a Karla diz: “Nunca vi uma coisa igual de gira”. O Jordy diz que a Terra não tem todas estas coisas, porque a sua tecnologia não está tão avançada. E depois diz que têm de voltar com os demais. As raparigas e o Jordy entram no elevador e baixam com os demais alunos. A visita da sua equipa já acabou, e então a professora diz que se quiserem poderão voltar às suas casas. O Jordy diz que tem de guiar à seguinte equipa, e vai-se embora. As raparigas saem da Kasa Tot, e observam o edifício desde abaixo. A Kimberly diz: “Há um momento estávamos ali acima”.

As raparigas vão ao parque de Bàrcinon, e sentam-se num banco. A Karla diz: “Estás a pensar o mesmo” Porque tens de pensar o mesmo”. A Kimberly diz: “Sim, a Terra, verdade?” e a Karla sorri. A Kimberly diz: “Para irmos à Terra, precisamos de muitas coisas e dum bom plano, já que não nos permitem ir sem um motivo especial”. A Karla diz: “Tu és boa em fazeres algum tipo de armadilhas…” e a Kimberly sorri. Depois a Kimberly diz que agora têm de pensar na escola, e já pensarão em irem à Terra mais tarde. Por agora, limitar-se-ão em serem “simples cidadãs”, como disseram ao Jordy há um momento. O episódio termina com as raparigas sentadas num banco do parque de Bàrcinon, a descansar.